Roncar colabora para o aumento da saburra lingual, uma das principais causas da halitose, por isso, higienizar bem a língua pode resolver um dos problemas

A pessoa que ronca costuma dormir de boca aberta a noite toda para poder respirar melhor. Essa prática aumenta o ressecamento e a descamação das células da mucosa da boca, que por sua vez, aumentama saburralingual (camada esbranquiçada que se forma no fundo da língua pelo acúmulo de alimentos, bactérias e outros resíduos), uma das principais causas da halitose.

Por isso, Juliana Magalhães, especialista no diagnóstico e tratamento da halitose, afirma que quem sofre com o ronco é um forte candidato a desenvolver mau hálito. Também porque essas pessoas têm dificuldade em fazer essa limpeza lingual, já que possuem o espaço interno das vias aéreas (onde passa o ar) levemente bloqueado ou menor do que o normal (seja por problema estrutural, posicionamento da língua ou de sobrepeso, por exemplo).

“Assim essa região entre o fundo da língua e o céu da boca (palato mole) também se apresenta reduzida, tornando a higienização desta parte, onde forma a saburra, mas difícil para o paciente. Por isso a atenção deve ser redobrada na hora da escovação”, diz Juliana.

Tratamentos diferenciados

Mas então a halitose nesses casos só será resolvida quando o ronco for tratado? Juliana explica que não, pois o ronco só potencializa algumas causas da halitose “Se o paciente que ronca se dedicar a uma higienização da boca e da língua bem criteriosa com raspadores linguais, ele não irá sofrer com o mau hálito”, diz a especialista.

Já no caso do tratamento do ronco, muitas medidas podem ser tomadas, dependendo da causa do problema. “Perder peso, tentar mudar a posição que costuma dormir,diminuir a quantidade de álcool e tabaco, tratar possíveis renites alérgicas ou ainda usar um aparelho durante a noite pode ajudar”, diz Leonardo Tribis, cirurgião-dentista do Hospital Albert Einstein.

Dentista e seu papel fundamental

Tanto o ronco como a halitose são problemas ligados diretamente com a cavidade bucal. No caso do mau hálito, os especialistas no seu tratamento são sempre dentistas formados e aptos para diagnosticar e lidar com esse tipo de problema. “No caso do ronco, por estar em contato o tempo todo com boca do paciente, o dentista é uma peça fundamental para reconhecer e até, em alguns casos, auxiliar no tratamento de problemas como garganta estreita, língua grande demais, amídalas e adenoides hipertrofiadas, etc”, diz Leonardo.

Via Terra